sexta-feira, 21 de janeiro de 2011



Ela sabia que ele estava sendo sincero, mas uma voz dentro de si insistia em perguntar quantos amores de verão sobreviviam ao poder do tempo. As pessoas mudavam. Os interesses mudavam. Era só dar uma olhada no espelho para admitir isso. Porém, perdê-lo parecia ser insuportável. Era ele quem amava, quem sempre amaria, e quando ele se inclinou para beijá-la ela se entregou a ele. Quando ele a segurou junto de si, ela deslizava suas mãos por suas costas e por seus ombros, sentindo a força de seus braços. Sabia que ele queria mais do que ela estava disposta a oferecer no relacionamento, mas, naquele momento, percebeu que havia outra alternativa. Havia apenas aquele momento e era o momento deles.
| A última música |

4 comentários:

Karine disse...

Tem selos para vc lá no meu blog!

Gisele Braga disse...

Olá minha querida =),
Tem selinho pra você lá no
Meu cantinho!
Ficarei feliz se aceitar o presentinho
http://todoamorqueeuguardei.blogspot.com/p/selinhos.html

Beijos

Amei o novo visu
do blog =)

Cristina Lira disse...

Olá Paula Cristina, obrigada por seguir o Silencio e pelo comentário...já estou te seguindo tbm, e não poderia ser diferente, me apaixonei por esse cantinho viu, é de um primor encantador. Adorei os textos e o romantismo tbm...voltarei mais tarde por aqui..bjos no coração e bem vinda ao meu espaço, volte sempre..bjos

Gabriela Simplício disse...

kkkkkkkkkkkk ,
porque será né amiga?
mais relevemos essa situação .
kkkkkkkkk ,
estou sentindo sua falta :/
muitas saudades melhor.
beijo , te amo . (L)