segunda-feira, 4 de abril de 2011



''Certeza que ele tem com os anjos alguma licença para ser o mais bonito. Ou então está transgredindo mesmo a lei de que todos somos iguais. Não, ele não é igual. E não é porque os olhos iluminam três quadras de escuridão. Mas porque teus cílios são tão sinceros quanto as palavras. Eu queria ser como ele, e ter a certeza das coisas que falo e não falar tão alto. Com todo aquele jeito paciente enquanto eu detono cinco bombas ao redor e não consigo parar. Eu nunca paro.
Ele inventou que sou tripolar, e que tenho coisas que são tão minhas a ponto de a novidade ser tão grande que o assusta. Mas ele é quem me assusta. Com braços tão grandes e um meio sorriso quando eu faço tudo errado, dizendo tanta coisa que não quer machucar. E não machuca.
Talvez ele tenha algum pacto com a minha mãe e me aguente apenas porque ela trabalha o dia todo. Ou quem sabe alguém apostou outras duas vidas se ele conseguir me fazer colocar os pés no chão. Certamente ganharia o dobro, pois aquele jeito de olhar é a única coisa que me breca. E a única coisa que ainda que não me entenda, não me julga e não desiste de mim.''


Camila Heloíse

Um comentário:

BM' disse...

Oi Flor!^^
Seguindo jah
amei o post bjs!


blogenquantoeurespirar.blogspot.com.br/